POEMAS DO NICODEMOS

Aqui você encontra um pouco do meu pensamento e sentimento. São garrafas lançadas ao mar virtual, na espectativa do encontro com outros sobreviventes... Palavras que buscam evidenciar, veladamente, o È.

19.9.09

.




Lobotomia


o homem
é o lobo
do
homem




.
Martelo

Falo da dor com presença e propriedade
Da dor que dói, da que espeta e da que arde
Falo da dor que alimenta esta saudade
Falo da dor que te abandona e que me invade

Dor de espinho cravando fundo a carne
Dor de osso ainda vivo e triturado
Dor de quando, ainda moço e já bem tarde
Vi mistérios de esfinge desvendados


Dor de pedras que atingem passarinhos
Dor de aborto quando o morto era esperado
Dor do dia que o filhote deixa o ninho
Dor de peixe que nadando é afogado.

Dor de morte escondida no segredo
Do sangue que pulsa contaminado
Dor do encontro do martelo com o dedo
Dor de membro putrefeito e amputado

Dor que infere sobre a singularidade
Do vivente que, por estar vivo, dói
Dor que rompe que corrempe que corroe
Dor que grita, dor que dói na eternidade

Falo da dor com presença e propriedade
Dor que dói dor que espeta dor que arde
Da dor que grita dor que dói na eternidade
De dor eu falo com presença e propriedade.

18.9.09




cada piscada
é uma nova chance
de ver o mundo



>


.

Sinto muito
Doutor
.
o mais poderoso
analgésico
.
.
é a
Dor.

11.9.09

.



não

negocio
nem ócio
nem cio.









.

7.9.09



nunca o chão foi tão macio

nem o amor foi tão inteiro
como dois deuses no cio
nossos corpos se encontraram
e assim se completaram
como a pena e o tinteiro




...

5.9.09

Aquela de quem digo
é minha,
é minha porque me possui
se com ela meu corpo se
alinha
em sua alma
minha alma
dilui...

4.9.09


Xilogravura "Instrumentos de trabalho". 2002.

1.9.09

Video-poema construído a partir da xilogravura "Rosa". A música é "O Rei mandou dizer", na viola de 10 cordas. A captura de imagens foi feita por Adino.