POEMAS DO NICODEMOS

Aqui você encontra um pouco do meu pensamento e sentimento. São garrafas lançadas ao mar virtual, na espectativa do encontro com outros sobreviventes... Palavras que buscam evidenciar, veladamente, o È.

13.12.09




viva a Poesia!!!
que habita em nós
e em outros nós
que habitam o mundo...
"se eu me chamasse Raimundo",
não seria solução,
quem sabe um soluço?
mas me debruço
sobre o instante e me distancio ...
vejo ao longe um navio
e nele navego sem pensar

pois,
"navegar é preciso",
pois sim!

9.12.09


desconheço
os figurinos
no armário

não sou
um


sou
vário...




....ooooOOOOoooo....

4.12.09

com versos
converto-me











,,...oooOOOooo......

não fosse

a dor,
intransferível


só Mãe doeria.






..ooOOOOoo..

2.12.09

da fruta madura
com gosto colhida
na boca perdura
0 sabor da mordida
serena, sonora
sem pressa ou demora
assim quero a vida






........oooooooOOOOOOOooooooo.......
amigo secreto
meu grande dilema

com verbo discreto

dizer-lhe um poema
aceite o amplexo
do irmão circunflexo
sem crase sem trema

31.10.09


VOCÊ DIZ
QUE EU CORRO
EU DIGO
QUE SÓ CORRO
POR SOCORRO



NÃO EXISTE O CAOS

NOSSAS RÉGUAS
SÃO CURTAS

NOSSOS RELÓGIOS
SÃO LENTOS...


de grão em grão
um dia

o tempo
entope
a pia


www.cronopios.com.br/site/poesia.asp?id=4267



JURÁSSICO

Pessoas sinceras
honestas consigo mesmas
quando trocam idéias
são como dinossauros
que
a brigar
com imensos movimentos
destroem metade da floresta
a sua volta

17.10.09

a dor dói
mas não mata...
precisa do

ente
para ser...









16.10.09

onde andará aquela
de quem só encontro pedaços
nas outras que beijo?

terá hora, ou virá sem hora
a senhora do meu desejo?

andará a me buscar
ou nem sabe de mim?
não sabe que trago,
por ela guardado
um amor sem começo
sem fim...

se ela demora e não vem
onde jogar meu carinho
que brota escondido e é de ninguém?

Que venha logo
que venha breve
vestida de branco de seda ou cetim
ou melhor
me venha nua
vestida somente de cheiro jasmim...

Ganharemos a rua
e uivaremos pra Lua
na noite sem fim.
PAIXÃO


até suas
listas de compra

leio emocionado.





5.10.09

riscando versos
a esmo

não busco um outro

procuro a mim
mesmo


.
quando te vi

sou um menino
com uma nuvem de algodão

doce na mão


.

19.9.09

.




Lobotomia


o homem
é o lobo
do
homem




.
Martelo

Falo da dor com presença e propriedade
Da dor que dói, da que espeta e da que arde
Falo da dor que alimenta esta saudade
Falo da dor que te abandona e que me invade

Dor de espinho cravando fundo a carne
Dor de osso ainda vivo e triturado
Dor de quando, ainda moço e já bem tarde
Vi mistérios de esfinge desvendados


Dor de pedras que atingem passarinhos
Dor de aborto quando o morto era esperado
Dor do dia que o filhote deixa o ninho
Dor de peixe que nadando é afogado.

Dor de morte escondida no segredo
Do sangue que pulsa contaminado
Dor do encontro do martelo com o dedo
Dor de membro putrefeito e amputado

Dor que infere sobre a singularidade
Do vivente que, por estar vivo, dói
Dor que rompe que corrempe que corroe
Dor que grita, dor que dói na eternidade

Falo da dor com presença e propriedade
Dor que dói dor que espeta dor que arde
Da dor que grita dor que dói na eternidade
De dor eu falo com presença e propriedade.

18.9.09




cada piscada
é uma nova chance
de ver o mundo



>


.

Sinto muito
Doutor
.
o mais poderoso
analgésico
.
.
é a
Dor.

11.9.09

.



não

negocio
nem ócio
nem cio.









.

7.9.09



nunca o chão foi tão macio

nem o amor foi tão inteiro
como dois deuses no cio
nossos corpos se encontraram
e assim se completaram
como a pena e o tinteiro




...

5.9.09

Aquela de quem digo
é minha,
é minha porque me possui
se com ela meu corpo se
alinha
em sua alma
minha alma
dilui...

4.9.09


Xilogravura "Instrumentos de trabalho". 2002.

1.9.09

videoVideo-poema construído a partir da xilogravura "Rosa". A música é "O Rei mandou dizer", na viola de 10 cordas. A captura de imagens foi feita por Adino.

31.8.09

Xilogravura.
O cego rabequeiro. 2004
Se a vida é uma viagem
do berço à cova
da fralda à mortalha,
bom mesmo é estar viajando
por mais que pese a cangalha

29.8.09

Soneto


SONETO DE MADRUGADA

Tantos abismos me atirei
e tantas mortes me caçaram
mas de todas que morri
alguns fiapos me sobraram.

Novos corpos incompletos
vieram habitar minh'alma
outras caras, falas, gestos
novos riscos de navalha.

E nem culpa tenho nisso,
é pra mim um compromisso
renascer a cada instante.

E assim, morrendo sigo
da morte fazendo abrigo
pra vida de mais adiante.

.

28.8.09

ao Vitor
POESIA


NÃO VIVO DISSO

NEM VIVO

SEM ISSO.
águas vivas
águas calmas

a Vida apresenta
eu bato palmas..






.

Moto contínuo

MOTO CONTÍNUO

COM A PRÁTICA
A PERFEIÇÃO
VEM

POR INÉRCIA.




.
videoXilogravura animada.

óleo sobre tela 85x105 cm
pintura relizada em 2000.
video

COGITO ERGO SUN"
PENSO, LOGO...
SOU.

se penso que sou,
sou,
se não penso,
não sou...

(se)
penso Bem
penso sem amarras
dez amarras desamarram...

penso AMAR
dez armas
se desarmam

pense também!
pense Bem!!


Águas de maio chegando em meus olhos
São águas que um rio me quer navegar
Águas de maio lavando as correntes
São águas de um rio sonhando com o mar

Águas serenas brotando da fonte
Num leito de pedras que vem renovar
São águas que lavam que levam lembranças
Em águas tranqüilas quero navegar

São águas de chuvas, são gotas de orvalho
Vertidas no tempo de tudo molhar
São águas que seguem, são águas que passam
Correndo da serra seguindo pro mar

Águas que banham que sonham sementes
Brotando nos campos, encantos de amar
São águas que cantam serenas, tranqüilas
Movendo montanhas pra outro lugar


Água clara, água fina. Água ensina a navegar
Água cura pura água. Água e Luz a clarear.

Beijaflor

Flor bela, minha flor,
Minha flor bela,
Violeta minha,
Catléia lilás,
Hortência florindo a serra,
Sempre viva
Sempre linda...
Me deixa
Te beijaflorar!

Encanto

Encanto 


 O fio
da faca
não resiste ao canto
da pia